PODCAST: Episódio #33 – O Pagador de Promessas

Clique com o botão direito e salve este episódio.

Chegou a vez do cinema brasileiro no Podcast Filmes Clássicos! No episódio #33, Alexandre, Fred e Sergio revisitam um grande filme brasileiro, o longa nacional mais premiado internacionalmente e até hoje único filme da América Latina a ganhar a Palma de Ouro no Festival de Cannes: O Pagador de Promessas, de 1962.  Dirigido pelo então galã Anselmo Duarte, foi a estréia de Leonardo Villar e Glória Menezes no cinema e lançou também a carreira de importantes atores como Othon Bastos, Geraldo Del Rey e Antônio Pitanga. Um drama inteligente baseado na peça homônima de Dias Gomes que propõe reflexões sobre a intolerância religiosa e a natureza aproveitadora do homem.

Trilha Sonora: Músicas compostas por Gabriel Migliori para o filme “O Pagador de Promessas”.
Duração: Aprox. 1h e 14min.

Acesse esta galeria para ver algumas imagens que ilustram coisas comentadas neste episódio. Clique nas fotos da galeria para ver as descrições.


 VÍDEOS QUE COMPLEMENTAM ESTE EPISÓDIO

Anselmo Duarte recebendo a Palma de Ouro em Cannes, em 1962.

O filme “O Pagador de Promessas” completo.

Documentário Curta “Cinema Pagador”, sobre o filme.
Anúncios

5 comentários sobre “PODCAST: Episódio #33 – O Pagador de Promessas

  1. Parabéns ao Time do Podcast Filmes Clássicos! Excelente Cast! Sobre as suas considerações Sérgio, achei muito coerente sua argumentação sobre uma certa supervalorização do filme, ao mesmo tempo, esclarecendo, sem desmerecer a obra, os sólidos caminhos que abriu para o cinema brasileiro, enquanto arte e indústria. Uma pena que integrantes do Cinema Novo insurgiram contra Anselmo Duarte … com um ódio que empenhou-se em tentar destruir sua obra, tornando sua vida um inferno e o levando à amargura. Uma injustiça com um filme que resguarda sua relevância como marco no cinema nacional.

    Curtido por 2 pessoas

  2. Vejo como é nojento e hipócrita o sistema da igreja católica.Proíbem de quem quer pagar promessa á uma divindade se a própria igreja católica é uma das mais idólatras que há.Não nego que o ex-galã de cinema faz bonito com essa obra prima fantástica.A excelente fotografia em preto e branco.As excelentes críticas quanto ao sensacionalismo jornalístico.Zé do Burro percebendo a falsidade das pessoas,em destaque que muitas só querem se aproveitar dele.Villar e Menezes o casal certo para esse filme.Também recomendável o livro no qual anos depois de seu lançamento resolveram filmar.Zé do Burro chega a perceber que só a sua mulher e o burro são seus amigos.
    A luta dele para cumprir a promessa.Enfim considero esse o melhor filme de todos os tempos.
    Agora isso é piada.Onde já se viu Mazzaropi num filme desse.Talves numa aparição mas não como o personagem principal.
    Temos muitas outras obras do Cinema Nacional.
    Obrigado pela postagem e o áudio.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe aqui sua opinião sobre isso!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s