Resenha #32 – Cão Danado (Nora Inu AKA Stray Dog, 1949)

Um excelente filme. Foi o oitavo que vi do Kurosawa e depois de terminado, logo o considerei um dos melhores. Nem vamos entrar no mérito sobre podermos ou não classificar um filme japonês como noir. Esses debates acabam não levando a lugar nenhum e tiram o foco do principal, que é falarmos do filme em si.

 

A história é extremamente simples: policial tem sua Colt roubada, carregada com todas as 7 balas, e empreende uma cansativa e angustiante busca pela arma, por toda Tóquio. O que, em princípio, seria apenas uma busca pessoal, passa a ser um caso de polícia quando ele descobre que alguns crimes (inclusive um assassinato) estão sendo cometidos com a sua própria arma. Assolado por um sentimento de culpa (no raciocínio dele, se não tivesse sido descuidado ao deixar que roubassem sua arma, os crimes não teriam acontecido), a busca passa a ser uma corrida contra o relógio, já que, pelos cálculos, ainda há balas na arma e outras mortes podem acontecer.

 

Entretanto, apesar da simplicidade da história, a direção magistral de Kurosawa (que me parece ser um diretor que não necessariamente cresceu com o tempo, isto é, já era fora-de-série em seus primeiros trabalhos, como p.ex, “Rashomon”) fez de “Cão Danado” um grande filme.

 

A cena da perseguição final, começando na estação, é memorável. Já desesperado e com o sentimento de culpa no seu ponto máximo, após o criminoso ter baleado seu colega, Murakami (Mifune) vai a seu encontro numa estação, mas não sabe quem é o homem. Sabe apenas que é canhoto e deve estar usando um terno de linho branco. Além disso, imagina que esteja com sapatos e calça sujos, pois vinha de uma fuga sob chuva.

 

Sem dúvida, a dupla de protagonistas (Toshiro Mifune e Takashi Shimura) está muito bem. Aliás, estes dois atores dão sempre um toque de qualidade adicional aos filmes do Kurosawa. Este é o segundo filme de Kurosawa que pode ser de alguma forma relacionado ao Cinema Noir. O primeiro, em 1948, foi “O Anjo Embriagado” (“Yoidore Tenshi”), com os mesmos protagonistas.

 

por Alexandre Cataldo

3 comentários sobre “Resenha #32 – Cão Danado (Nora Inu AKA Stray Dog, 1949)

  1. Assisti recentemente o Cão Danado e como não assisti muitos filmes do Kurosawa (Os Setes Samurais, Rashomon, Yojimbo, Viver e Madadayo) confesso que ainda sou surpreendido com o vários tipos de estéticas, temas e gêneros que ele trabalhou com uma qualidade impressionante.

    Cão Danado me agradou muito também. E realmente me lembrou muito vários filmes policiais americanos, mas com toda uma carga cultural japonesa. A preocupação do policial em encontrar a arma e de ele chegar ao ponto de pedir demissão por não aguentar a culpa por ter sua arrama machucado outras pessoas é muito tocante.

    Abraços.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe aqui sua opinião sobre isso!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s