Resenha #46 – Trilhos Sinistros (The Narrow Margin, 1952)

Dirigido por Richard Fleischer (o mesmo de “20.000 Léguas Submarinas”, “Tora!Tora!Tora!” e “Viagem Fantástica”) e estrelado por Charles McGraw, Marie Windsor e Jaqueline White, “The Narrow Margin” é um ótimo filme policial, com McGraw no papel de um policial de Los Angeles que, juntamente com seu parceiro, é designado para escoltar, de Chicago a Los Angeles, uma testemunha-chave para o julgamento de um chefão do crime organizado.

 

McGraw, com sua habitual “cara de poucos amigos”, não chegava a ser um ator de muitos recursos, mas os papéis de gangsters ou policiais, sempre “durões”, pareciam cair como uma luva pra ele.

 

O filme se passa praticamente todo dentro de um trem, mas na realidade apenas algumas poucas cenas foram feitas dentro de um trem de verdade.

Há críticos que citam este filme como um dos melhores filmes-B já feitos (foi filmado por uma bagatela: menos de 200 mil dólares). Exageros à parte, é certo que “Trilhos Sinistros” é um filme com excelente ritmo e particularmente interessante pelo excelente uso que faz dos ambientes claustrofóbicos do trem. Consta que Richard Fleischer preferiu usar uma câmera portátil (um dos primeiros filmes a usar esse recurso), em vez de ter que trabalhar com paredes móveis no set.

 

No Brasil, teve dois títulos: Trilhos Sinistros e Rumo ao Inferno. Foi refilmado em 1990, com Gene Hackman e Anne Archer.

por Alexandre Cataldo em 08/09/2006

Deixe aqui sua opinião sobre isso!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s