Resenha #72 – Afrontando a Morte (The Crooked Way, 1949)

Dirigido pelo veterano Robert Florey (que frequenta Hollywood desde os anos 20, tendo dirigido inclusive um filme dos irmãos Marx), “Afrontando a Morte” é um típico filme noir de baixo orçamento, daqueles que podemos categorizar com um filme “B”.  É capaz de entreter o espectador, mas desde que este baixe suas exigências. antes de começar a assistir à película.

 

O enredo básico é bastante comum dentro dos filmes negros americanos, sobretudo aqueles produzidos nos anos 40:  ex-combatente da Segunda Guerra, sofrendo de amnésia, tenta reconstruir sua vida voltando para casa,  mas se vê confrontado com seu passado.  O apenas razoável ator John Payne interpreta Eddie Riccardi, o protagonista do longa, muitas vezes apelidado de “Eddie Rice”.

 

Payne não entusiasma no papel e parece um tanto mal escalado.  É difícil vê-lo como alguém que teria sido um gangster num passado nem tão distante como propõe o filme.

 

Se atuações e roteiro não merecem destaque, o mesmo não se pode dizer para a fotografia do mestre John Alton, ponto alto do filme.  Sua perfeita composição de imagens, verdadeira referência dentro do gênero noir, é capaz de manter um clima de tensão durante quase todo o filme, fazendo o filmes se tornar interessante.

por Alexandre Cataldo

Anúncios

Deixe aqui sua opinião sobre isso!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s