PODCAST: Episódio #111 – Os Filmes de Kenji Mizoguchi – Parte Final

Clique com o botão direito e salve este episódio.

Pela terceira e última vez, Fred e Alexandre convocam o crítico e montador Raphael Cubakowic para fechar a série de episódios tratando do diretor japonês Kenji Mizoguchi. O áudio desta vez traz os sete últimos filmes da carreira do mestre, mas o destaque fica por conta de três excelentes filmes da carreira de Mizoguchi:  “Intendente Sansho” (Sanshô Dayû, 1954) considerado por alguns seu melhor trabalho no cinema, “Os Amantes Crucificados” (Chikamatsu monogatari, 1954) outro grande expoente da obra de Mizoguchi e “Rua da Vergonha” (Akasen chitai), último filme do cineasta, lançado em 1956. Não trataremos do filme “Contos da Lua Vaga”, pois já fizemos um episódio dedicado a ele, que você poderá acessar nesta postagem .

Trilha Sonora: Trilhas Compostas para os filmes discutidos neste episódio.
Duração: Aprox. 2 h e 17 min.

VÍDEOS QUE COMPLEMENTAM ESTE EPISÓDIO

A icônica cena do suicídio de Anju, em “Intendente Sansho”.

Trailer de “Os Amantes Crucificados”.

A chegada de Machiko Kyô em “Rua da Vergonha”.

 

 

Anúncios

Um comentário sobre “PODCAST: Episódio #111 – Os Filmes de Kenji Mizoguchi – Parte Final

  1. Intendente Sanshô é sobre a época do Japão feudal o que me chama muito a atenção pois eu mesmo sou fascinado por filmes históricos e nesse filme retrata as dificuldades que uma família passa na tirania de Sanshô.
    Amantes Crucificados basicamente o título em si já é um spoiler.Um casal de amantes dispostos a ficarem juntos entre si mesmo que por isso tenham que pagar o mais alto preço.
    Rua da Vergonha relata as dificuldades que as mulheres que trabalham como prostitutas passam quando o governo japonês quer tornar essa atividade ilegal.
    Mizoguchi,Bergman,Hitchcok souberam como valorizar o protagonismo feminino em seus filmes.
    Foi uma excelente matéria sendo que esses dois últimos filmes citados que eu vi foram essa semana para entrar no clima e comentar.
    Aliás eu dou meus parabéns ao PFC pelo destaque que estão dando aos cineastas japoneses.Já tivemos Kurosawa,Kobayashi e agora o Mizoguchi,sendo que este último foi um mestre para Kurosawa e para finalizar só falta Yasujiro Ozu outro grande mestre.
    Mesmo assim eu posso dizer que o PFC é o único que eu ouço os aúdios e com prazer.

    Curtir

Deixe aqui sua opinião sobre isso!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s