PODCAST: Episódio #71 – A Trilogia de Apu

No episódio 71, Fred e Alexandre mergulham nos três filmes conhecidos como “A Trilogia de Apu”, obras-primas do cineasta bengali Satyajit Ray, um diretor muitas vezes comparado a outros titãs de seu tempo: Ingmar Bergman, Akira Kurosawa e Federico Fellini… Esta trinca de clássicos consiste nos fabulosos “A Canção da Estrada” (Pather Panchali, 1955), “O Invencível” (Aparajito, 1956) e “O Mundo de Apu” (Apur Sansar, 1959), películas que fizeram enorme sucesso ao redor do mundo e que até hoje são veneradas por cineastas, cinéfilos e críticos como clássicos fundamentais da sétima arte.

Anúncios

PODCAST: Episódio #70 – Os Filmes de Akira Kurosawa – Parte Final

Alexandre e Fred chegam ao episódio 70 do Podcast Filmes Clássicos para fechar uma das mais influentes carreiras do cinema, a do diretor japonês Akira Kurosawa. Neste áudio, passamos por todos os seus filmes de 1963 a 1993, entre eles “Céu e Inferno” (Tengoku to jigoku, 1963), “O Barba Ruiva” (Akahige, 1965), “Kagemusha, A Sombra de um Samurai” (“Kagemusha”, 1980) e “Ran” (Ran, 1985).  Outros como “Sonhos” (Yume, 1990), “Rapsódia em Agosto” (Hachi-gatsu no rapusodî, 1991) e seu último filme, “Madadayo” (Madadayo, 1993) também passam por aqui.

PODCAST: Episódio #69 – Solaris

Fred e Alexandre foram transportados para uma estação soviética no espaço, onde recebem a missão de analisar “Solaris” (Solyaris), ficção científica de 1972 realizada pelo renomado diretor russo Andrei Tarkovsky e até hoje considerado um de seus melhores filmes. Muitas vezes visto como uma resposta ao clássido de Stanley Kubrick, “2001, Uma Odisséia no Espaço”, o filme de Tarkovsky propõe outras reflexões e se preocupa em investigar o interior desconhecido do próprio ser humano, quando em contato com uma inteligência alienígena que não tem capacidade de compreender.

PODCAST: Episódio #68 – Matar ou Morrer

No episódio 68, Alexandre e Fred esperam a chegada do trem do meio-dia que traz o cinéfilo Marcelo Rennó e juntos os três irão atrás de eliminar mais uma pendência da galeria do Podcast Filmes Clássicos. Chegou a vez – e a hora – de abordarmos o western americano intitulado no Brasil “Matar ou Morrer” (High Noon, 1952). Mais do que um simples faroeste, o filme se tornou um clássico absoluto do cinema sob a direção de Fred Zinnemann e a produção de Stanley Kramer.

PODCAST: Episódio #67 – Dicas Triplas do PFC #5

Alexandre e Fred adicionam mais três dicas à série “Dicas Triplas do PFC”.  Este é o quinto bate-papo naquele formato do podcast, onde indicamos três ótimos filmes que hoje são pouco lembrados entre os cinéfilos em geral ou que fazem parte da filmografia de um diretor mas dentro dela são às vezes deixados pra um segundo momento. Como de costume quando fazemos estas conversas que funcionam como dicas, separamos os spoilers para o final do episódio para que você tenha oportunidade de interromper a audição caso não tenha visto os filmes.  Venha conosco redescobrir mais alguns clássicos esquecidos! 

PODCAST: Episódio #66 – Os Filmes de Akira Kurosawa – Parte 2

Alexandre e Fred chegam no episódio 66 acompanhados do podcaster Marcelo Zagnolli (TigreCast) para dar continuidade à expressiva carreira do diretor japonês Akira Kurosawa. Nesta jornada começamos com “Hakuchi, O Idiota” (Hakuchi, 1951) e fechamos com “Sanjuro” (Sanjuro, 1962) totalizando nove filmes neste período, entre eles os fenomenais “Viver” (Ikiru, 1952), “Trono Manchado de Sangue” (Kumonosu-jô, 1957), “A Fortaleza Escondida” (Kakushi-toride no san-akunin, 1958), “Homem Mau Dorme Bem” (Warui yatsu hodo yoku nemuru, 1960) e “Yojimbo, O Guarda-Costas” (Yojimbo, 1961).

PODCAST: Episódio #65 – M, O Vampiro de Dusseldorf

Chegamos ao episódio 65 do Podcast Filmes Clássicos e a dupla Fred/Alexandre entram no submundo do crime devidamente acompanhados do podcaster Marcos Noriega (direto do Masmorra Cine) para tentar prender um dos assassinos seriais mais famosos do cinema, Hans Beckert, mais conhecido como “M, O Vampiro de Dusseldorf” (M, 1931). O clássico de Fritz Lang é alvo do nosso podcast, que hoje chega para discutir o legado do longa para o cinema falado e suas influências no film noir, subgênero americano no qual o diretor alemão será uma das peças chave quando chega ao Estados Unidos fugindo da ascensão do nazismo em sua terra natal.

PODCAST: Episódio #64 – A Trilogia da Incomunicabilidade

O episódio 64 saiu no parto, após diversas incomunicabilidades e tentativas de gravar ao longo de três dias! Alexandre e Fred recebem novamente o poeta e músico Bruno Kohl para um bate-papo sobre a trilogia mais famosa de Michelangelo Antonioni, a chamada “Trilogia da Incomunicabilidade”, composto de três excelentes filmes: “A Aventura” (L’Avventura, 1960), “A Noite” (La Notte, 1961) e “O Eclipse” (L’Eclisse, 1962). Estes longas trouxeram uma nova forma de se utilizar a técnica cinematográfica, sugerindo outra maneira de se fazer cinema e por isso mesmo serviram de influência para diversos novos cineastas que surgiam na época e até hoje são celebrados como alguns do melhores filmes italianos.

PODCAST: Episódio #63 – Tubarão

O episódio 63 do Podcast Filmes Clássicos chega em águas turbulentas, com Alexandre e Fred recebendo o cinéfilo Sergio Gonçalves e a apresentadora do canal do Youtube, “Luz, Câmera, Arte”, Rachel Rocha (primeira voz feminina a surfar nas ondas do PFC) que se juntam ao barco para nos ajudar com “Tubarão” (Jaws, 1975), o clássico de Steven Spielberg que catapultou a carreira de um dos mais bem sucedidos diretores americanos.

PODCAST: Episódio #62 – Os Filmes de Akira Kurosawa – Parte 1

Fred e Alexandre partem para o Japão onde começam uma saga de três episódios explorando a brilhante e influente filmografia do diretor nipônico Akira Kurosawa. Kurosawa-san teve sólida carreira por cerca de 50 anos e foi um dos responsáveis por abrir as portas do cinema asiático ao ocidente. Neste primeiro episódio começamos com “A Saga do Judô” (Sugata Sanshiro, 1943) e seguimos por mais 10 longas de Kurosawa, até o filme de 1950, Rashomon (Vencedor do Festival de Veneza e de um prêmio especial da Academia, antes que existisse a categoria de Oscar para filme estrangeiro).