PODCAST: Episódio #111 – Os Filmes de Kenji Mizoguchi – Parte Final

Pela terceira e última vez, Fred e Alexandre convocam o crítico e montador Raphael Cubakowic para fechar a série de episódios tratando do diretor japonês Kenji Mizoguchi. O áudio desta vez traz os sete últimos filmes da carreira do mestre, mas o destaque fica por conta de três excelentes filmes da carreira de Mizoguchi:  “Intendente Sansho” (Sanshô Dayû, 1954), “Os Amantes Crucificados” (Chikamatsu monogatari, 1954) e “Rua da Vergonha” (Akasen chitai, 1956), último filme do cineasta.

Anúncios

PODCAST: Episódio #109 – Os Filmes de Kenji Mizoguchi – Parte 2

Mais uma vez Alexandre e Fred se reúnem com o crítico e montador Raphael Cubakowic para conversar sobre a carreira do diretor japonês Kenji Mizoguchi. Nesta oportunidade o trio discute filmes importantes do final dos anos 40 e início dos 50, período prolífero na filmografia de Mizoguchi, com filme como “Mulheres da Noite” (Yoru no onnatachi, 1948), “Senhorita Oyu” (Oyû-sama, 1951) e um dos filmes mais importantes deste período, “Oharu, A Vida de Uma Cortesã” (Saikaku ichidai onna, 1952). 

PODCAST: Episódio #107 – Jean Renoir

Fred e Alexandre recebem o jornalista e blogger Rafael Amaral (Palavras de Cinema) para um animado bate-papo sobre um dos diretores franceses mais influentes de seu tempo. Renoir começou no cinema mudo e fez uma ótima passagem ao falado, quando lançou três de seus maiores filmes, abordados mais a fundo neste episódio: “A Grande Ilusão” (La Grande Illusion, 1937), “A Besta Humana” (La Bête Humaine, 1938) e “A Regra do Jogo” (La Règle du Jeu, 1939). 

PODCAST: Episódio #106 – Os Filmes de Kenji Mizoguchi – Parte 1

Alexandre e Fred trazem para este episódio o montador e crítico Raphael Cubakowic para dar início a uma série de três episódios que tratarão da filmografia de um dos maiores diretores japoneses, Kenji Mizoguchi. Como de hábito, escolhemos alguns filmes para representar a obra deste diretor no período discutido nessa primeira parte e assim passamos mais profundamente por “A Perdição de Osen” (Orizuru Osen, 1935), “As Irmãs de Gion” (Gion no shimai, 1936), “Crisântemos Tardios” (Zangiku monogatari, 1939) e “A Vingança dos 47 Ronins” (Genroku Chûshingura, 1941). 

PODCAST: Episódio #103 – Howard Hawks

Alexandre e Fred trazem nesse episódio uma análise sucinta da filmografia eclética de um dos mais versáteis diretores americanos: chegou a vez de Howard Hawks no PFC!  Hawks já teve três filmes debatidos em outros episódios de nosso podcast (“Scarface, Vergonha de uma Nação” e “Aventura na Martinica”/”À Beira do Abismo”) e neste episódio adentramos em filmes como a screwball  “Jejum de Amor” (His Girl Friday, 1940) e westerns como “Rio Vermelho” (Red River, 1948) e “Onde Começa o Inferno” (Rio Bravo, 1959), além de diversos outros filmes do diretor.

PODCAST: Episódio #96 – Os Filmes de David Lean – Parte Final

Fred, Alexandre e o músico Willian de Andrade voltam a se encontrar para finalizar em duas partes a carreira do cineasta britânico David Lean. Esta fase ficará marcada na filmografia do diretor pelos seus grandes épicos e este episódio final aborda todos os longas do diretor (menos dois) desde “As Cartas de Madeleine” (Madeleine, 1950) até seu último filme, “Passagem para Índia” (A Passage To India, 1984), que abordamos mais profundamente junto com dois outros grandes filmes: “Doutor Jivago” (Doctor Zhivago, 1965) e “A Filha de Ryan” (Ryan’s Daughter, 1970).

PODCAST: Episódio #94 – Os Filmes de David Lean – Parte 1

Fred e Alexandre convocam novamente o músico Willian de Andrade e o desafio agora é passar a limpo a filmografia completa do diretor britânico David Lean, um dos maiores realizadores do cinema britânico. Lean estreia com créditos de co-diretor no filme “Nosso Barco, Nossa Alma” (In Wich We Serve) e segue para fazer mais tarde três excelentes filmes em sequência: “Desencanto” (Brief Encounter, 1945), “Grandes Esperanças” (Great Expectations, 1946) e “Oliver Twist” (Oliver Twist, 1948). Nesta primeira parte de dois áudios cobrimos toda sua carreira até 1949.

PODCAST: Episódio #92 – Os Filmes de Sergei Eisenstein – Parte Final

O PFC volta com Alexandre, Fred e o músico Willian de Andrade para fechar a filmografia de Sergei Eisenstein, nesta segunda e última parte sobre a carreira do diretor. Começamos com “Que Viva, México!” (¡Que Viva Mexico!, 1932/1979) , depois seguimos com “Cavaleiros de Ferro” (Aleksandr Nevskiy, 1938) e concluímos o episódio com filmes que comporiam uma trilogia, mas acabou que só duas partes foram produzidas e distribuídas: “Ivan, O Terrível” (Ivan Groznyy, 1944) e “Ivan, O Terrível – Parte II” (Ivan Groznyy. Skaz vtoroy: Boyarskiy zagovor, 1958). Descubra um pouco mais sobre a vida e obra de um dos cineastas mais influentes do cinema e um dos pais da montagem moderna.

PODCAST: Episódio #90 – Os Filmes de Sergei Eisenstein – Parte 1

O cineasta da vez é Sergei Eisenstein e Fred e Alexandre convocam novamente o músico Willian de Andrade para discutir os filmes realizados pelo diretor soviético de maior renome mundial. Eisenstein se tornou uma lenda no cinema mundial com seu segundo filme, “O Encouraçado Potemkin” (Bronenosets Potemkin, 1925). Este clássico e outros que ele filmou entre 1925 e 1929 são discutidos aqui nesta primeira parte de dois episódios sobre Eisenstein: “A Greve” (Stachka, 1925), “Outubro” (Oktyabr, 1927) e “O Velho e o Novo” (Staroye i novoye, 1929), ao lado de “Potemkin”, foram projetos ousados, de alto cunho político mas também de caráter extremamente inovador como experiências de montagem.

PODCAST: Episódio #89 – Bogart & Bacall

Fred e Alexandre contam com Rafael Amaral para pela primeira vez discutir a vida e carreira de um casal de atores. Humphrey Bogart e Lauren Bacall fizeram quatro filmes juntos. O longa de estreia de Bacall nas telas de cinema, “Uma Aventura na Martinica” (To Have and Have Not, 1945) sob a direção de Howard Hawks, que também assinaria o próximo filme do casal: “À Beira do Abismo” (The Big Sleep, 1946). Sem Hawks, mas ainda na Warner, viriam mais dois filmes, “Prisioneiro do Passado” (Dark Passage, de Delmer Daves em 1947)  e a última colaboração de Bogie & Bacall juntos, “Paixões em Fúria” (Key Largo, 1948), filme do cineasta John Huston.