PODCAST: Episódio #85 – Os Filmes de Marcel Carné

Fred e Alexandre trazem Rafael Amaral (do Blog “Palavras de Cinema”) no episódio 85 para debater a carreira de Marcel Carné, um dos grandes nomes por trás do chamado Realismo Poético Francês, movimento cinematográfico que saiu da França nos anos 30 para influenciar cinemas mundo afora.  Algumas das mais inspiradas obras desta tendência de se fazer cinema foram dirigidas por Marcel Carné, como os principais filmes discutidos neste áudio:  “Cais das Sombras” (Le Quai des Brume, 1938), “Trágico Amanhecer” (Le Jour se Lève, 1939), “Os Visitantes da Noite” (Les visiteurs du soir, 1942) e “O Boulevard do Crime” (Les enfants du paradis, 1945).

Anúncios

PODCAST: Episódio #83 – Os Filmes de Ingmar Bergman – Parte Final

Alexandre e Fred recebem mais uma vez o músico Willian de Andrade para fechar a filmografia completa de Ingmar Bergman, tornando o Podcast Filmes Clássicos o primeiro cast da América Latina a tratar de forma completa a obra cinematográfica de um dos maiores diretores que o cinema já viu.  Nesta parte final começamos por “A Hora do Amor” (Beröringen, 1971), mas nos detemos mais em filmes como “Gritos e Sussurros” (Viskningar och rop, 1972), “Sonata de Outono” (Höstsonaten, 1978) e o brilhante canto de cisne da carreira cinematográfica do sueco, “Fanny & Alexander” (Fanny och Alexander, 1982), seu último filme na telona.

PODCAST: Episódio #80 – Os Filmes de Ingmar Bergman – Parte 3

No episódio 80, Fred, Alexandre e o músico William de Andrade dão sequência à série de episódios sobre a filmografia e vida de Ingmar Bergman, diretor sueco que a esta altura já gozava de prestígio entre críticos e colegas de profissão. Esta é uma fase marcada por colaborações com seus atores mais memoráveis, como Bibi Andersson, Liv Ullmann, Max Von Sydow, Gunnar Björnstrand, Harriet Andersson, Gunnel Lindblom, Ingrid Thulin, Erland Josephson e muitos outros, em filmes como “Através de Um Espelho” (Såsom i en spegel, 1961), “Luz de Inverno” (Nattvardsgästerna, 1963), “O Silêncio” (Tystnaden, 1963), “Quando Duas Mulheres Pecam” (Persona, 1966) e “A Hora do Lobo” (Vargtimmen, 1968).

PODCAST: Episódio #77 – Os Irmãos Marx

Trazemos no episódio 77 a filmografia de um dos times de comédia mais caóticos do cinema americano. Fred e Alexandre se unem ao músico Pedro Bizelli para discutir os filmes deixados pelos hilariantes Irmãos Marx. Groucho e suas tiradas irônicas, Harpo e sua pantomima e Chico e seu sotaque italiano fizeram grande sucesso nos anos 30. Este episódio conta com clássicos como “Gênios da Pelota” (Horse Feathers, 1932), “Diabo à Quatro” (Duck Soup, 1933), “Uma Noite na Ópera” (A Night at the Opera, 1935), “Um Dia nas Corridas” (A Day At The Races, 1937) entre muitos outros.

PODCAST: Episódio #76 – Os Filmes de Ingmar Bergman – Parte 2

No episódio 76, Alexandre e Fred se juntam novamente ao músico William de Andrade para tratar da filmografia de Ingmar Bergman e abordam o período que é considerado por muitos como sua fase mais prolífera no cinema. Por cerca de sete anos, o Sueco escreveu e dirigiu filmes como “Noites de Circo” (Gycklarnas afton, 1953), “O Séitmo Selo” (Det sjunde inseglet, 1957), “Morangos Silvestres” (Smultronstället, 1957), “O Rosto” (Ansiktet, 1958) e “A Fonte da Donzela” (Jungfrukällan, 1960) que se tornariam obras apreciadas ao redor do mundo inteiro e que dariam a Bergman deviersos prêmios e a fama de gênio que continua até os dias de hoje.

PODCAST: Episódio #73 – Os Filmes de Ingmar Bergman – Parte 1

No episódio 73, Fred e Alexandre convidam o músico William de Andrade para iniciar uma jornada de quatro episódios sobre a carreira e vida de um dos diretores mais respeitados da sétima arte, o sueco Ingmar Bergman. O Podcast Filmes Clássicos começa essa série de homenagens tratando neste episódio das doze primeiras produções de Bergman, entre elas “Crise” (Kris, 1946), “Juventude” (Sommarlek, 1951) e o longa que o tornou conhecido internacionalmente, intitulado “Mônica e o Desejo” (Sommaren med Monika, 1953).

PODCAST: Episódio #70 – Os Filmes de Akira Kurosawa – Parte Final

Alexandre e Fred chegam ao episódio 70 do Podcast Filmes Clássicos para fechar uma das mais influentes carreiras do cinema, a do diretor japonês Akira Kurosawa. Neste áudio, passamos por todos os seus filmes de 1963 a 1993, entre eles “Céu e Inferno” (Tengoku to jigoku, 1963), “O Barba Ruiva” (Akahige, 1965), “Kagemusha, A Sombra de um Samurai” (“Kagemusha”, 1980) e “Ran” (Ran, 1985).  Outros como “Sonhos” (Yume, 1990), “Rapsódia em Agosto” (Hachi-gatsu no rapusodî, 1991) e seu último filme, “Madadayo” (Madadayo, 1993) também passam por aqui.

PODCAST: Episódio #66 – Os Filmes de Akira Kurosawa – Parte 2

Alexandre e Fred chegam no episódio 66 acompanhados do podcaster Marcelo Zagnolli (TigreCast) para dar continuidade à expressiva carreira do diretor japonês Akira Kurosawa. Nesta jornada começamos com “Hakuchi, O Idiota” (Hakuchi, 1951) e fechamos com “Sanjuro” (Sanjuro, 1962) totalizando nove filmes neste período, entre eles os fenomenais “Viver” (Ikiru, 1952), “Trono Manchado de Sangue” (Kumonosu-jô, 1957), “A Fortaleza Escondida” (Kakushi-toride no san-akunin, 1958), “Homem Mau Dorme Bem” (Warui yatsu hodo yoku nemuru, 1960) e “Yojimbo, O Guarda-Costas” (Yojimbo, 1961).

PODCAST: Episódio #62 – Os Filmes de Akira Kurosawa – Parte 1

Fred e Alexandre partem para o Japão onde começam uma saga de três episódios explorando a brilhante e influente filmografia do diretor nipônico Akira Kurosawa. Kurosawa-san teve sólida carreira por cerca de 50 anos e foi um dos responsáveis por abrir as portas do cinema asiático ao ocidente. Neste primeiro episódio começamos com “A Saga do Judô” (Sugata Sanshiro, 1943) e seguimos por mais 10 longas de Kurosawa, até o filme de 1950, Rashomon (Vencedor do Festival de Veneza e de um prêmio especial da Academia, antes que existisse a categoria de Oscar para filme estrangeiro).

PODCAST: Episódio #60 – Os Filmes de F. W. Murnau

Fred e Alexandre viajam até a Alemanha no Episódio 60 para tratar da obra de Fredrich Wilhelm Murnau, um dos grandes expoentes do cinema mundial, nome fundamental do expressionismo alemão e um dos maiores diretores do cinema mudo. F. W. Murnau fez clássicos como “Nosferatu – Uma Sinfonia do Horror” (Nosferatu, eine Symphonie des Grauens, 1922), “A Última Gargalhada” (Der letzte Mann, 1924), “Fausto” (Faust: Eine deutsche Volkssage, 1926) e “Tabu” (Tabu: A Story of the South Seas, 1931), todos estes tratados neste episódio. É dele também um dos filmes mais importantes do cinema mudo americano, “Aurora” (Sunrise: A Song of Two Humans, 1927).