PODCAST: Episódio #51 – Os Filmes de Billy Wilder – Parte Final

Este é o episódio 51, no qual Fred e Alexandre concluem a filmografia completa do mestre Billy Wilder. No último de uma série de três episódios, os dois podcasters iniciam o bate-papo analisando o filme de 1960 e ganhador de Oscar de melhor filme, “Se Meu Apartamento Falasse” (The Apartment) e vão até seu último filme, “Amigos, Amigos, Negócio à Parte” (Buddy, Buddy, 1981). A carreira brilhante de Billy Wilder está agora completa nos arquivos do Podcast Filmes Clássicos!

Anúncios

PODCAST: Episódio #42 – Os Filmes de Billy Wilder – Parte 2

No episódio 42, Alexandre e Fred retornam à filmografia do mestre Billy Wilder para concluir a segunda parte de uma série de três episódios. Desta vez focamos a década de 50 e passamos por oito filmes do diretor, explorando mais profundamente o clássico film noir “A Montanha dos Sete Abutres” (Ace in the Hole, 1951), um dos maiores sucessos de bilheteria do diretor, chamado no Brasil de “Inferno Nº 17” (Stalag 17, 1953), o engenhoso “Testemunha da Acusação” (Witness for the Prosecution, 1957), que foi adaptado de uma peça de Agatha Christie e o hilário “Quanto Mais Quente Melhor” (Some Like It Hot, 1959), considerado uma das melhores comédias do cinema.

PODCAST: Episódio #37 – Os Filmes de Billy Wilder – Parte 1

No episódio 37, Fred e Alexandre voltam a trabalhar com a filmografia de um grande nome do cinema mundial, o escolhido da vez é Billy Wilder que fez brilhante carreira nos Estados Unidos. No primeiro de três episódios desta série sobre o cineasta, abordamos desde seu primeiro trabalho na direção, quando co-dirigiu o filme francês “A Semente do Mal” (Mauvaise Graine, 1934) até um de seus mais aclamados filmes, o clássico absoluto “Crepúsculo dos Deuses” (Sunset Blvd., 1950).

Resenha #6 – A Porta de Ouro (Hold Back The Dawn, 1941)

Por incrível que pareça, o bom e hoje em dia esquecido A Porta de Ouro, dirigido por Mitchell Leisen, concorreu a seis Oscars no ano seguinte ao do seu lançamento, disputando categorias de peso como de melhor filme, atriz, fotografia, roteiro e direção de arte (Victor Young concorreu também a melhor trilha sonora). Se a…

Resenha #2 – Crepúsculo dos Deuses (Sunset Blvd., 1950)

Pra mim, “Crepúsculo dos Deuses” não é só um dos melhores filmes noir, nem só um dos melhores filmes sobre a própria indústria cinematográfica, nem só um dos melhores filmes de Billy Wilder.  É, isso sim, um dos melhores filmes de todos os tempos.   De início, assume deliberadamente uma estrutura narrativa de filme noir.…