PODCAST: Episódio #121 – O Sol é Para Todos

Alexandre, Fred e Sergio se reúnem para debater um dos grandes clássicos americanos de 1962, ano que rendeu ao cinema uma quantidade considerável de filmes relevantes para a sétima arte. Desta vez o foco do podcast fica em “O Sol é Para Todos” (To Kill a Mockingbird), dirigido por Robert Mulligan e produzido por Alan J. Pakula para a Universal Studios. Baseado no  romance homônimo que deu um Prêmio Pulitzer para a escritora Harper Lee, o filme sobre racismo e tolerância ganhou três Oscars da Academia, entre eles o de melhor ator para Gregory Peck.

PODCAST: Episódio #120 – Os Filmes de John Ford – Parte Final

Fred, Alexandre e o crítico Rafael Amaral se reúnem mais uma vez para fechar mais uma filmografia no PFC. O mestre americano John Ford volta a ser tema de nosso cast e a parte final de sua carreira é passada a limpo, com destaques para “Depois do Vendaval” (The Quiet Man, 1952), “Audazes e Malditos” (Sergeant Rutledge, 1960) e “O Homem que Matou o Facínora” (The Man Who Shot Liberty Valance, 1962), tido por muito especialistas como o último grande filme de John Ford, estrelado por John Wayne e James Stewart.

PODCAST: Episódio #116 – Os Filmes de John Ford – Parte 2

Alexandre, Fred e o crítico Rafael Amaral tem um encontro marcado no O.K. Corral para debater outros grandes filmes da carreira do americano John Ford. Diretor dos mais influentes de seu tempo, Ford seguiu nos anos 40 entregando grandes clássicos do calibre de “Como Era Verde o Meu Vale” (How Green Was My Valley, 1941) e depois da guerra voltou ao western para fazer um dos grandes expoentes do gênero, “Paixão dos Fortes” (My Darling Clementine, 1946), terminando a década com dois filmes estrelados por John Wayne: “Sangue de Heróis” (Fort Apache, 1948) e “Legião Invencível” (She Wore a Yellow Ribbon, 1949).

PODCAST: Episódio #114 – Powell & Pressburger

Chegou a hora de acertar o alvo com mais uma filmografia de respeito e dessa vez Alexandre e Fred convocam Willian de Andrade para discutir a obra de Michael Powell e Emeric Pressburger. Na década de 40, foram responsáveis por alguns dos grandes clássicos britânicos, como “Coronel Blimp: Vida e Morte” (The Life and Death of Colonel Blimp, 1943), “Neste Mundo e no Outro” (A Matter of Life and Death, 1946), “Narcisso Negro”(Black Narcisuss, 1947) e “Os Sapatinhos Vermelhos” (The Red Shoes, 1948). 

PODCAST: Episódio #113 – Os Filmes de John Ford – Parte 1

Fred e Alexandre partem para mais um desafio: tratar a obra de John Ford, talvez o diretor americano mais influente do cinema e para isso convocam o crítico do Blog “Palavras de Cinema”, Rafael Amaral.  Ford deixou um verdadeiro legado para a sétima arte, com grandes filmes como o seminal “O Cavalo de Ferro” (The Iron Horse, 1924), tratado mais a fundo neste áudio.  Clássicos como “O Delator” (The Informer, 1935), “A Mocidade de Lincoln” (Young Mr. Lincoln, 1939) e “As Vinhas da Ira”(Grapes of Wrath, 1940) também são abordados com mais carinho neste episódio, o primeiro de uma série de três.

PODCAST: Episódio #112 – Um Estranho no Ninho

Alexandre e Fred se internam num hospital psiquiátrico onde encontram o músico Pedro Bizelli e debatem um grande clássico da década de 70, o tocante filme de Milos Forman, “Um Estranho no Ninho” (One Flew Over The Cuckoo’s Nest, 1975). Produzido por Michael Douglas e Saul Zaentz e estrelado por Jack Nicholson e Louise Fletcher, o filme rejeitado pelos grandes estúdios e realizado através de produção independente, foi baseado no best seller homônimo de Ken Kesey e pegou os críticos de surpresa, se tornando um grande sucesso de público daquele ano.

PODCAST: Episódio #111 – Os Filmes de Kenji Mizoguchi – Parte Final

Pela terceira e última vez, Fred e Alexandre convocam o crítico e montador Raphael Cubakowic para fechar a série de episódios tratando do diretor japonês Kenji Mizoguchi. O áudio desta vez traz os sete últimos filmes da carreira do mestre, mas o destaque fica por conta de três excelentes filmes da carreira de Mizoguchi:  “Intendente Sansho” (Sanshô Dayû, 1954), “Os Amantes Crucificados” (Chikamatsu monogatari, 1954) e “Rua da Vergonha” (Akasen chitai, 1956), último filme do cineasta.

PODCAST: Episódio #109 – Os Filmes de Kenji Mizoguchi – Parte 2

Mais uma vez Alexandre e Fred se reúnem com o crítico e montador Raphael Cubakowic para conversar sobre a carreira do diretor japonês Kenji Mizoguchi. Nesta oportunidade o trio discute filmes importantes do final dos anos 40 e início dos 50, período prolífero na filmografia de Mizoguchi, com filme como “Mulheres da Noite” (Yoru no onnatachi, 1948), “Senhorita Oyu” (Oyû-sama, 1951) e um dos filmes mais importantes deste período, “Oharu, A Vida de Uma Cortesã” (Saikaku ichidai onna, 1952). 

PODCAST: Episódio #107 – Jean Renoir

Fred e Alexandre recebem o jornalista e blogger Rafael Amaral (Palavras de Cinema) para um animado bate-papo sobre um dos diretores franceses mais influentes de seu tempo. Renoir começou no cinema mudo e fez uma ótima passagem ao falado, quando lançou três de seus maiores filmes, abordados mais a fundo neste episódio: “A Grande Ilusão” (La Grande Illusion, 1937), “A Besta Humana” (La Bête Humaine, 1938) e “A Regra do Jogo” (La Règle du Jeu, 1939). 

PODCAST: Episódio #106 – Os Filmes de Kenji Mizoguchi – Parte 1

Alexandre e Fred trazem para este episódio o montador e crítico Raphael Cubakowic para dar início a uma série de três episódios que tratarão da filmografia de um dos maiores diretores japoneses, Kenji Mizoguchi. Como de hábito, escolhemos alguns filmes para representar a obra deste diretor no período discutido nessa primeira parte e assim passamos mais profundamente por “A Perdição de Osen” (Orizuru Osen, 1935), “As Irmãs de Gion” (Gion no shimai, 1936), “Crisântemos Tardios” (Zangiku monogatari, 1939) e “A Vingança dos 47 Ronins” (Genroku Chûshingura, 1941).