PODCAST: Episódio #87 – George Stevens: A Trilogia Americana

Alexandre e Fred se reúnem mais uma vez para fazer uma trilogia, desta vez a chamada “Trilogia Americana”, três clássicos absolutos de Hollywood lançados na década de 50 e dirigidos pelo californiano George Stevens. “Um Lugar ao Sol” (A Place in the Sun) chegou aos cinemas em 1951 trazendo juntos pela primeira vez Montgomery Clift e Elizabeth Taylor.  “Os Brutos Também Amam” (Shane, 1953) fez história ao ver o oeste americano através dos olhos de uma criança e “Assim Caminha a Humanidade” (Giant), virou um ótimo épico sobre o Texas e também foi a despedida do cinema de James Dean, que ao final da produção sofreu um acidente de carro fatal.

PODCAST: Episódio #86 – Era Uma Vez em Tóquio

No episódio 86, Alexandre, Fred convidam o músico Pedro Bizelli para viajar a Tóquio, Japão.  É na capital japonesa que se passa um dos melhores filmes de Yasujiro Ozu, “Era uma Vez em Tóquio” (Tôkyô monogatari, 1953), considerado em listas como a da Sight & Sound um dos melhores filmes já feitos e uma das mais importantes obras do cinema asiático.  Com nomes marcantes do cinema japonês como Setsuko Hara e Chishû Ryû este clássico se mantém atual até hoje, por examinar ao melhor estilo Ozu, as relações intrínsecas entre duas gerações de uma família japonesa quando os pais resolvem visitar seus filhos na capital do Japão. 

PODCAST: Episódio #85 – Os Filmes de Marcel Carné

Fred e Alexandre trazem Rafael Amaral (do Blog “Palavras de Cinema”) no episódio 85 para debater a carreira de Marcel Carné, um dos grandes nomes por trás do chamado Realismo Poético Francês, movimento cinematográfico que saiu da França nos anos 30 para influenciar cinemas mundo afora.  Algumas das mais inspiradas obras desta tendência de se fazer cinema foram dirigidas por Marcel Carné, como os principais filmes discutidos neste áudio:  “Cais das Sombras” (Le Quai des Brume, 1938), “Trágico Amanhecer” (Le Jour se Lève, 1939), “Os Visitantes da Noite” (Les visiteurs du soir, 1942) e “O Boulevard do Crime” (Les enfants du paradis, 1945).

PODCAST: Episódio #83 – Os Filmes de Ingmar Bergman – Parte Final

Alexandre e Fred recebem mais uma vez o músico Willian de Andrade para fechar a filmografia completa de Ingmar Bergman, tornando o Podcast Filmes Clássicos o primeiro cast da América Latina a tratar de forma completa a obra cinematográfica de um dos maiores diretores que o cinema já viu.  Nesta parte final começamos por “A Hora do Amor” (Beröringen, 1971), mas nos detemos mais em filmes como “Gritos e Sussurros” (Viskningar och rop, 1972), “Sonata de Outono” (Höstsonaten, 1978) e o brilhante canto de cisne da carreira cinematográfica do sueco, “Fanny & Alexander” (Fanny och Alexander, 1982), seu último filme na telona.

PODCAST: Episódio #81 – Dicas Triplas do PFC #7

Alexandre e Fred voltam com força total para fazer mais um Dicas Triplas do PFC, no episódio número 81 deste Podcast. Hoje trazemos três ótimos filmes, um deles pouquíssimo visto fora de seu país e nunca lançado no Brasil.  Abrimos os trabalhos com o filme italiano de Elio Petri, intitulado “Investigação Sobre um Cidadão Acima de Qualquer Suspeita” (Indagine su un cittadino al di sopra di ogni sospetto, 1970) e depois adentramos terra quase virgem com “Here’s Your Life” (Här har du ditt liv, 1966), filme pouquíssimo conhecido do sueco Jan Troell.  Fechamos este áudio com o western americano de William A. Wellmann chamado “Consciências Mortas”(The Ox-Bow Incident, 1943), um longa bastante diferente dentro do gênero “faroeste”. 

PODCAST: Episódio #80 – Os Filmes de Ingmar Bergman – Parte 3

No episódio 80, Fred, Alexandre e o músico William de Andrade dão sequência à série de episódios sobre a filmografia e vida de Ingmar Bergman, diretor sueco que a esta altura já gozava de prestígio entre críticos e colegas de profissão. Esta é uma fase marcada por colaborações com seus atores mais memoráveis, como Bibi Andersson, Liv Ullmann, Max Von Sydow, Gunnar Björnstrand, Harriet Andersson, Gunnel Lindblom, Ingrid Thulin, Erland Josephson e muitos outros, em filmes como “Através de Um Espelho” (Såsom i en spegel, 1961), “Luz de Inverno” (Nattvardsgästerna, 1963), “O Silêncio” (Tystnaden, 1963), “Quando Duas Mulheres Pecam” (Persona, 1966) e “A Hora do Lobo” (Vargtimmen, 1968).

PODCAST: Episódio #79 – O Assalto ao Trem Pagador

Chegamos ao episódio 79, onde Fred e Alexandre contratam Marcos Noriega (do Podcast Masmorra Cine) para ajudá-los a solucionar “O Assalto ao Trem Pagador”, filme nacional dirigido por Roberto Farias e lançado em 1962. Os investigadores do Podcast Filmes Clássicos fazem de tudo para se aprofundar nesta produção brasileira que em muito lembra os melhores filmes policiais americanos do subgênero “filme de assalto”.  Estrelado por Reginaldo Farias, Eliezer Gomes, Luiza Maranhão e Grande Othelo, este clássico brazuca venceu a prova do tempo e por isso mesmo recebe merecidamente esta homenagem em áudio do PFC.  

PODCAST: Episódio #78 – E o Vento Levou

No episódio 78, Alexandre, Fred e Sergio Gonçalves juram nunca mais passar fome em outro Réveillon, nem que para isso precisem roubar comida de uma festa vizinha. Enquanto bebem uma cidra, eles discutem um dos maiores clássicos do cinema americano, o mais que famoso “E o Vento Levou” (Gone With The Wind, 1939) . Com produção de David O. Selznick e direção de Victor Fleming, George Cukor e Sam Wood, o longa sobreviveu à prova do tempo e até hoje é daqueles filmes que mesmo os “não-cinéfilos” já ouviram falar dele.

PODCAST: Episódio #76 – Os Filmes de Ingmar Bergman – Parte 2

No episódio 76, Alexandre e Fred se juntam novamente ao músico William de Andrade para tratar da filmografia de Ingmar Bergman e abordam o período que é considerado por muitos como sua fase mais prolífera no cinema. Por cerca de sete anos, o Sueco escreveu e dirigiu filmes como “Noites de Circo” (Gycklarnas afton, 1953), “O Séitmo Selo” (Det sjunde inseglet, 1957), “Morangos Silvestres” (Smultronstället, 1957), “O Rosto” (Ansiktet, 1958) e “A Fonte da Donzela” (Jungfrukällan, 1960) que se tornariam obras apreciadas ao redor do mundo inteiro e que dariam a Bergman deviersos prêmios e a fama de gênio que continua até os dias de hoje.