PODCAST: Episódio #137 – Bonnie e Clyde: Uma Rajada de Balas

Fred e Alexandre recebem o músico Willian de Andrade para conversar sobre uma dos filmes mais importantes do cinema americano, marco inicial para o período que ficou identificado como a “Nova Hollywood”. Dirigido por Arthur Penn, “Bonnie e Clyde: Uma Rajada de Balas” (Bonnie and Clyde, 1967) foi produzido e estrelado por Warren Beatty tendo como ponto de partida um roteiro escrito pelos então jornalistas David Newman e Robert Benton.

PODCAST: Episódio #136 – Dicas Triplas do PFC #14

Fred e Alexandre trazem mais um convidado para o “Dicas Triplas”, o founding father Sergio Gonçalves. O trio debate sobre três ótimos filmes de diversas nacionalidades dentro do continente americano: “Noite Vazia” (1964) do brasileiro Walter Hugo Khouri, “O Enigma de Andrômeda” (The Andromeda Strain, 1971) de Robert Wise e por fim, encerramos o áudio com o filme argentino de Luis Puenzo, “A História Oficial” (La Historia Oficial, 1985).  Como de costume, guardamos os spoilers só para o final deste episódio.

PODCAST: Episódio #135 – Tarde Demais

Alexandre, Fred e Marcelo Rennó prestam uma singela homenagem à última grande atriz do cinema clássico,  Olivia De Havilland (falecida em julho de 2020) e ao filme de William Wyler chamado “Tarde Demais” (The Heiress, 1949). A produção da Paramount nasceu quando a atriz viu em Nova York a peça de teatro homônima e em seguida instruiu seu agente a procurar Wyler para direção. O resultado foi um excelente filme que concorreu a diversos Oscars e que premiou De Havilland pela segunda vez em sua carreira como melhor atriz.

PODCAST: Episódio #134 – Mikio Naruse

Alexandre e Fred trazem dois convidados especiais para discutir o cineasta japonês Mikio Naruse, um dos quatro gigantes do cinema nipônico. O crítico Rafael Amaral (blog “Palavras de Cinema”) e o curador da Versátil Home Video, Fernando Brito, se juntam ao debate que foca três grandes obras de Naruse: “O Som da Montanha” (Yama no oto, 1954), “Quando a Mulher Sobe a Escada” (Onna ga kaidan wo agaru toki, 1960) e “Nuvens Dispersas” (Midaregumo, 1967), último filme do japonês.