PODCAST: Episódio #173 – Ettore Scola

Gravamos mais um ótimo papo, desta vez para abordar a filmografia de um diretor que pode ficar de fora do radar de parte dos cinéfilos quando pensa no cinema italiano. Alexandre e Fred recebem novamente o cinéfilo e repórter Tony Vendramini (“Podcast Cinema Italiano”) para conversar sobre a vida de Ettore Scola, cineasta napolitano que começa como roteirista, mas atinge seu auge dirigindo filmes na década de 70 e 80. Nesta oportunidade focamos em três grandes longas de Scola: “Ciúme à Italiana” (Dramma della gelosia (tutti i particolari in cronaca), 1970), “Feios, Sujos e Malvados” (Brutti, sporchi e cattivi, 1976) e “Um Dia Muito Especial” (Una giornata particolare, 1977).

PODCAST: Episódio #167 – Dicas Triplas do PFC #21

Tá na hora de mais um dicas triplas e desta vez Fred e Sergio recebem o jornalista e podcaster Hugo Harris (Cinefilia & Companhia) para mais este ótimo papo sobre cinema. O primeiro indicado da vez é um clássico da era de ouro de Hollywood, o filme que deu o primeiro Oscar ao diretor Leo McCarey, “Cupido é Moleque Teimoso”, ótima comédia com Cary Grant e Irenne Dunne.  A segunda produção que comentamos é a deliciosa comédia inglesa “O Mistério da Torre”, filme de assalto estrelado por Alec Guiness e dirigido por Charles Crichton. Para fechar o episódio trazemos o primeiro longa-metragem de Jan Svankmajer, o Tcheco que é um dos papas da animação em stop-motion e na década de 80 fez “A Viagem de Alice”, baseado na obra de Lewis Carroll, “Alice no País das Maravilhas”.

PODCAST: Episódio #163 – Dicas Triplas do PFC #20

Em mais um episódio de dicas, Alexandre e Fred conversam com o crítico Rafael Amaral do Blog “Palavras de Cinema” e nesta oportunidade os três discutem uma trinca de filmes da década de setenta, cada um de uma nacionalidade diferente. O papo começa com o longa político de Costa-Gavras, “A Confissão” (L’Aveu, 1970), uma produção francesa, depois seguimos com a comédia italiana de Mario Monicelli, “Meus Caros Amigos” (Amici Miei, 1975) e encerramos com o diretor alemão Wim Wenders e o filme “O Amigo Americano” (Der amerikanische Freund, 1977).

PODCAST: Episódio #138 – Dicas Triplas do PFC #15

Alexandre e Fred contam com o jornalista e crítico Rafael Amaral, do Blogue “Palavras de Cinema” para mergulhar em três grandes filmes de nacionalidades diferentes. É mais um dicas triplas com boas dicas de longas para nossos ouvintes. O papo começa na Itália, com “Aquele Que Sabe Viver” (Il Sorpasso, 1962) de Dino Risi. Depois vamos até o oeste americano para falar de “Disparo Para Matar” (The Shooting, 1966) de Monte Hellman. A conversa se encerra na Inglaterra com o grande “Caçada na Noite” (The Long Good Friday, 1980).

PODCAST: Episódio #131 – Noivo Neurótico, Noiva Nervosa

Woody Allen enfim chega em nosso acervo de áudios! Fred e Alexandre se juntam a Sergio Gonçalves e Willian de Andrade para debater o filme que representou uma guinada na forma do diretor fazer comédia. “Noivo Neurótico, Noiva Nervosa” (Annie Hall, 1977), um longa auto-biográfico – ou não – traz algumas das melhores gags de Allen até então e este se utiliza de uma série de inovações de forma a contar uma história simples e corriqueira entre o relacionamento de seu personagem Alvy Singer com a personagem título de Diane Keaton. 

PODCAST: Episódio #127 – Os Filmes de Federico Fellini – Parte Final

Alexandre, Fred e o crítico Rafael Amaral (Blog “Palavras de Cinema”) se reúnem mais uma vez para fechar a filmografia de Federico Fellini, o grande diretor italiano que este ano completaria 100 anos de vida se estivesse vivo.  O episódio traz todas os filmes da segunda fase de Fellini e começamos a jornada dando destaque a “Julieta dos Espíritos” (Giulietta degli spiriti , 1965) tido por muitos como uma versão feminina de “Oito e Meio”. O áudio continua com um de seus filmes de maior sucesso de público e crítica, “Amarcord” (1973) e depois seguimos com “E La Nave Va” (1983), provavelmente seu último grande filme. 

PODCAST: Episódio #125 – Os Filmes de Federico Fellini – Parte 1

Alexandre, Fred e o crítico Rafael Amaral começam neste episódio a primeira parte da homenagem do PFC ao centenário de Federico Fellini, diretor dos mais influentes do cinema mundial, daqueles que virou adjetivo. Esta primeira parte de dois episódios chega para você neste dia 20 de janeiro, data em que Fellini completaria 100 anos se estivesse vivo, e neste áudio conversamos sobre a obra e vida do diretor, desde seu primeiro filme, passando com destaque por “A Estrada da Vida” (La Strada, 1954), “Noites de Cabíria” (Le notti di Cabiria, 1957) e fechando com “A Doce Vida” (La Dolce Vita, 1960).

PODCAST: Episódio #123 – Dicas Triplas do PFC #12

No último episódio de 2019, Alexandre, Fred e o músico Willian de Andrade trazem três presentes de natal para nossos ouvintes, pois é hora mais uma vez do Dicas Triplas do PFC. Começamos este bate papo nos Estados Unidos, com um dos grandes filmes de Ernst Lubitsch: “Ser ou Não Ser” (To Be Or Not To Be, 1942). Seguimos com um dos grandes clássicos do cinema brasileiro, o filme de Luiz Sérgio Person “São Paulo, Sociedade Anônima” (1965) e encerramos o ano na Itália, mais precisamente com Ettore Scola e um filme não muito lembrado em sua filmografia: “Nós Que Nos Amávamos Tanto” (C’eravamo tanto amati, 1974).

PODCAST: Episódio #117 – Dicas Triplas do PFC #11

Alexandre, Fred e o músico Willian de Andrade batem aquele papo sobre três filmes que consideram ótimas dicas para o cinéfilo de plantão. O episódio começa com o inesperado filme do egípcio Youssef Chahine, intitulado “Estação Central de Cairo” (Bab El Hadid, 1958), segue com o excelente filme de sequestro “Os Sicilianos” (Le clan des Siciliens, 1969), estrelado por Jean Gabin, Alain Delon e Lino Ventura e termina com um filme que se perde na ótima filmografia de Sidney Lumet, “Armadilha Mortal” (Deathtrap, 1982).  Os Spoilers guardamos para o fim do episódio.

PODCAST: Episódio #107 – Jean Renoir

Fred e Alexandre recebem o jornalista e blogger Rafael Amaral (Palavras de Cinema) para um animado bate-papo sobre um dos diretores franceses mais influentes de seu tempo. Renoir começou no cinema mudo e fez uma ótima passagem ao falado, quando lançou três de seus maiores filmes, abordados mais a fundo neste episódio: “A Grande Ilusão” (La Grande Illusion, 1937), “A Besta Humana” (La Bête Humaine, 1938) e “A Regra do Jogo” (La Règle du Jeu, 1939).